segunda-feira, 27 de junho de 2011

CECÍLIA MEIRELES

Deve existir nos homens um sentimento profundo que corresponde
a essa palavra LIBERDADE, pois sobre ela se têm escrito poemas
e hinos, a ela se tem até morrido com alegria e felicidade. (...) Ser
livre – como diria o famoso conselheiro... – é não ser escravo; é
agir segundo a nossa cabeça e o nosso coração, mesmo tendo que
partir esse coração e essa cabeça para encontrar um caminho...
Enfim, ser livre é ser responsável, é repudiar a condição de
autônomo e de teleguiado – é proclamar o triunfo luminoso do
espírito. (...) Ser livre é ir mais além: é buscar outro espaço, outras
dimensões, é ampliar a órbita da vida. É não estar acorrentado. É
não viver obrigatoriamente entre quatro paredes. (MEIRELES,
Cecília. 1966: 28)

2 comentários:

  1. Estou lendo agora e pela primeira vez esse poema da Cecília. É um poema questionador das circunstâncias em busca da liberdade. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Cecília sabia bem do que escrevia.Admiro-a.
    Será que permitia que eu inserisse, no meu
    blogue, com os devidos créditos, o poema
    dedicado às crianças que tem aqui no seu blogue?
    Basta deixar uma mensagem a dizer se permite.
    Bom fim de semana.
    Bj.

    ResponderExcluir