sábado, 5 de abril de 2014

“Ele nos ensina a não ver as coisas com os nossos olhos, mas para ver as coisas da maneira que Deus as vê, através do nosso coração





DiNÃMICA  ( colocar-se no lugar de um/a deficiente
visual) e valorizar a vida; percepção de que os Portadores
de Necessidades Especiais  tem o seu potencial;

 “Ele nos ensina a não ver as coisas com os
nossos olhos, mas para ver as coisas da maneira que Deus as vê, através do
nosso coração”

DINÃMICA:

1- Coloque uma
venda para tapar os olhos,

 2-Coloque o vídeo com a música Testemunho Christopher Duffley-Cego e
Autista  ( como fundo musical )

 

3-Ao passo que ouvimos a música composta por ELE, simultaneamente vou
contando sua história:

 

. . . O
garoto Christopher Duffley, 12 anos, emocionou os fiéis da World Outreach
Church, em Murfreesboro, no estado norte-americano do Tennessee, com sua
interpretação da música “I Can Only Imagine”, de Michael W. Smith.
Christopher se descreve como um “músico/cantor que por acaso é
cego e autista”, e o vídeo de sua apresentação percorreu as redes sociais,
causando grande comoção.
“Isso me faz pensar sobre quem é realmente o prejudicado, nós ou
ele? Um coração tão puro e confiante… Christopher e outras crianças com
necessidades especiais são o que nós mesmos depois deveríamos ser depois de nos
modelarmos”, comentou a internauta Marilyn Terrana.
O menino nasceu prematuro com apenas 26 semanas de gestação e
pesando aproximadamente 600 gramas, após sua mãe ter feito uso de cocaína, que
ficou em seu organismo, segundo relato de sua tia Christine, que assumiu sua
guarda e o criou.
“Ele nos ensina a não ver as coisas com os nossos olhos, mas
para ver as coisas da maneira que Deus as vê, através do nosso coração”
4- Todos permanecem de olhos vendados:
5- Passo por cada Educador/ Aluno ou qualquer outro participante
com uma caixa cheia de vários objetos e peço que passem a mão, sintam ,
percebam o conteúdo da caixa;
6-Continuo com a reflexão ao som da música de Christopher
Duffey 
A vida é mesmo engraçada. As vezes achamos que tudo
vai dar certo, mas acontece tudo errado; outras vezes, estava tudo perdido,
mas, inexplicavelmente, o impossível acontece.
Cada dia que passa percebo mais que não sou eu a
determinadora do meu futuro. Só tenho o hoje, só o hoje.
“Tenho medo da graça que passa sem que eu perceba!”
(Santo Agostinho).
Tenho medo de não aproveitar a graça, o tempo que
me é dado: o hoje. Tenho medo de que as minhas falhas me impeçam de enxergar a
beleza que está à minha volta e dentro de mim.
“Senhor, dê-me a graça de enxergar com Seus olhos,
porque, na verdade, “Sou um misto de beleza e imperfeição que merece ser feliz”
(Padre Fábio de Melo).
Tenho apenas o agora; o ontem já passou e nada
posso fazer para mudá-lo e o amanhã ainda não chegou. Posso viver apenas o
hoje, por isso escolho ver a beleza dos meus irmãos, das pessoas que trabalham
comigo,que estão próximas e distantes – seja essa distância física ou de
coração -, pessoas que eu preciso aprender a enxergar com outros olhos, transformando
dificuldades em belezas.
Ainda que o mundo queira afirmar somente a
“feiura” nos erros, nas dificuldades e perdas, nos sofrimentos e desilusões,
também nas pessoas, há sim beleza em cada situação, em cada pedra no caminho,
em cada ‘não’ que recebo, em cada pessoa que se foi.



7- Depois todos tiram a venda dos olhos e ganha um chocolate;
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário