quinta-feira, 30 de julho de 2015

HOMENAGEM AO ILUSTRE MÁRIO QUINTANA

“Todos estes que aí estão Atravancando o meu caminho, Eles passarão. Eu passarinho!” 
[POEMINHA DO CONTRA]
―Mario Quintana

Hoje, 30 de julho, é o aniversário de Mario Quintana, nascido em 1906. De Gramática e de Linguagem

 
E havia uma gramática que dizia assim:
"Substantivo (concreto) é tudo quanto indica
Pessoa, animal ou cousa: João, sabiá, caneta".
Eu gosto das cousas. As cousas sim !...
As pessoas atrapalham. Estão em toda parte. Multiplicam-se em excesso.
As cousas são quietas. Bastam-se. Não se metem com ninguém.
Uma pedra. Um armário. Um ovo, nem sempre,
Ovo pode estar choco: é inquietante...)
As cousas vivem metidas com as suas cousas.
E não exigem nada.
Apenas que não as tirem do lugar onde estão.
E João pode neste mesmo instante vir bater à nossa porta.
Para quê? Não importa: João vem!
E há de estar triste ou alegre, reticente ou falastrão,
Amigo ou adverso...João só será definitivo
Quando esticar a canela. Morre, João...
Mas o bom mesmo, são os adjetivos,
Os puros adjetivos isentos de qualquer objeto.
Verde. Macio. Áspero. Rente. Escuro. luminoso.
Sonoro. Lento. Eu sonho
Com uma linguagem composta unicamente de adjetivos
Como decerto é a linguagem das plantas e dos animais.
Ainda mais: 
Eu sonho com um poema
Cujas palavras sumarentas escorram
Como a polpa de um fruto maduro em tua boca,
Um poema que te mate de amor
Antes mesmo que tu saibas o misterioso sentido:
Basta provares o seu gosto...
Mario Quintana

segunda-feira, 27 de julho de 2015

BOM DIA !!

 ✿*´¨)*
¸.•*¸.• ✿Quem és tu que me lês?
És o meu segredo ou sou eu o teu?
Clarice Lispector








quinta-feira, 16 de julho de 2015

Pro Dia Nascer Feliz - completo





documentário dirigido por João Jardim “Pro dia nascer Feliz”, aborda o sistema educacional brasileiro, descrevendo realidades escolares de diferentes contextos sociais, econômicos e culturais a partir de diversos olhares sobre as realidades que constituem a estrutura educacional seja do ponto de vista da instituição, do aluno, do professor e da família.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

WHAT A WONDERFUL WORLD (Louis Armstrong) -Tradução

Que Mundo Maravilhoso ( What a Wonderful World Louis Armstrong )

  


Eu vejo os céus tão azuis e as nuvens tão brancas
O brilho abençoado do dia, e a escuridão sagrada da noite
E eu penso comigo, que mundo maravilhoso

As cores do arco-íris, tão bonitas no céu
Estão também nos rostos das pessoas
Vejo amigos apertando as mãos, dizendo: "como você vai?"
Eles realmente dizem: "eu te amo!"

Eu ouço bebês chorando, eu os vejo crescer
Eles vão aprender muito mais que eu jamais vou saber
E eu penso comigo, que mundo maravilhoso
Sim, eu penso comigo, que mundo maravilhoso

What a Wonderful World

I see trees of green, red roses too
I see them bloom for me and you
And I think to myself, what a wonderful world

I see skies so blue and clouds of white
The bright blessed days, the dark sacred night
And I think to myself, what a wonderful world

The colors of the rainbow, so pretty in the sky
Are also on the faces of people going by
I see friends shaking hands, saying, "how do you do?"
They're really saying, "I love you"


  

terça-feira, 7 de julho de 2015

No dia 7 de julho de 1897 nascia o mais famoso cangaceiro brasileiro, Virgulino Ferreira da Silva, conhecido como Lampião (1897-1939).

Simulação de um tribunal Lampião : Herói ou Bandido ?




Acusação:

Voltar na história: Quando pequeno, Lampião era conhecido por fazer muita baderna nas ruas de Serra Talhada, município de Pernambuco. Seus primeiros crimes aconteceram quando ele ainda era novo, ao se associar com cangaceiros conhecidos, como Sebastião Pereira.
Por causa da morte dos pais, Lampião jurou vingança e começou a atacar diversas fazendas, com ajuda dos seus irmãos, primos e conhecidos.
violência e esperteza, lista vários motivos para a ascensão do cangaço.
fatores como o abandono e a extrema pobreza da população, além da opressão imposta pelos grandes latifundiários, criaram o ambiente perfeito para esses criminosos, que já operavam desde o século 19.
Lampião nada tinha de herói, nem era um ‘Robin Hood’ nordestino. “Ao contrário, ele foi muito violento e cruel com a população pobre”, afirma. E completa: “Ao mesmo tempo, ele foi um aliado de todos os coronéis e poderosos. Sua principal fonte de renda era o dinheiro que essas pessoas pagavam para não serem atacadas pelo bando”.
a imagem mítica que se formou sobre Lampião, traça paralelos entre o cangaço e os gângsteres da década de 1920 nos Estados Unidos e compara a situação dos cangaceiros de ontem com a dos traficantes de hoje.
um bandido sanguinário. Durante suas andanças, arrancou olhos, cortou línguas, e decepou orelhas. Castrou um homem dizendo que ele precisava engordar. Moças que usassem cabelos ou vestidos curtos ele punia marcando o rosto a ferro quente. Em Bonito de Santa Fé, em 1923, deu início ao estupro coletivo da mulher do delegado. Vinte e cinco homens participaram da violação.
Não há como transformar em herói um homem que formou vários grupos em todos os sertões do Nordeste, que torturou, sequestrou, roubou, destruiu lares, queimou pessoas, animais e fazendas; estrupou, mutilou e matou tantas pessoas, enlutando e desfazendo centenas de lares na região, notadamente, na sua terra natal- o Vale do Pajeú, de onde saíram, em consequência, alguns dos seus mais bravos combatentes.

Virgolino semeava terror e morte no sertão

Teve uma vez que Lampião matou um dos seus próprios homens, mas antes disso fez com que ele comesse um quilo de sal

 •  "Vou matar até morrer" - prometeu ele, cheio de ódio e desejo de vingança.
O rastro deixado pela passagem de Lampião e seu bando nos sertões mostrava a realidade da violência e da degradação humana: disseminou o terror, corrompeu, marcou mulheres indefefesas com ferro incandescente como se fossem gado de sua propriedade particular, cerceou a liberdade de homens livres, simples trabalhadores sertanejos.

 Defesa :

Admirado pela sua valentia, o facínora acabou convertido em herói. Em 1931, o jornal New York Times chegou a apresentá-lo como um ROBIN HOOD DA CAATINGA, que roubava dos ricos para dar aos pobres. O próprio Lampião, era tão vaidoso, a ponto de só usar perfume francês e de distribuir cartões de visita com sua foto. Gostava também, de entrar nos povoados atirando moedas.
Os cangaceiros tinham fama de ajudar e proteger quem os ajudava. Por isso , conservam até hoje a fama de “Robin Hoods ” do sertão
Lampião saqueava as cidades por onde passava em prol da acumulação de bens próprios, o movimento do cangaço em sua essência era contra as elites

Fonte  ( Vários sites para colher argumentos

A última peleja do Diabo Loiro

















No dia 7 de julho de 1897 nascia o mais famoso cangaceiro brasileiro, Virgulino Ferreira da Silva, conhecido como Lampião (1897-1939). Há sessenta anos morria Corisco, o derradeiro chefe do cangaço, mas a batalha dos sertanejos contra a fome e a violência
Língua Portuguesa e Literatura Brasileira
Os cangaceiros despertavam o medo e a admiração da maioria da população pobre do Nordeste. A professora Maria José Nóbrega sugere que os alunos pesquisem essas duas visões representadas na arte e nos fatos históricos.
1. Em literatura, ela propõe a leitura de três livros: Fogo Morto, de José Lins do Rêgo; Capitães de Areia, de Jorge Amado; e Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna. A seguir, inicie um debate: por que os sertanejos são vilões e heróis ao mesmo tempo?
2. Utilize a literatura de cordel e textos de Patativa do Assaré para quebrar preconceitos da língua portuguesa. "Mostre a seus alunos que a língua popular muitas vezes é ridicularizada porque o povo é discriminado", afirma a professora. Peça a eles que descubram a regra gramatical desses versos, que fogem do padrão institucionalizado.
3. Músicas de Luiz Gonzaga, fã confesso de Lampião, também podem ser bons materiais para ilustrar a vida do povo nordestino. Coloque as músicas do rei do baião para seus alunos ouvirem e dançarem. "É um exercício de reconhecimento da diversidade cultural e lingüística do país", .http://revistaescola.abril.com.br/…/ultima-peleja-diabo-loi…
4 . HERÓIS OU BANDIDOS ? O historiador Flávio Trovão sugere a simulação de um tribunal para julgar os cangaceiros. Esse exercício pode ser realizado junto com a disciplina de Língua Portuguesa 

Literatura: Conheça o Brasil em 27 livros de ficção

 Literatura: Conheça o Brasil em 27 livros de ficção

http://educacao.uol.com.br/album/2013/03/15/conheca-o-brasil-em-27-livros-de-ficcao.htm?cmpid=fb-uolnot#fotoNav=1