segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Tão atual !! Lira Itabirana”, Carlos Drummond de Andrade, 1984


QUANTOS AIS ! ( Quanta dor! Quando sofrimento ! Quantas saudades dos entes que se foram! Quanta saudade daquele rio doce, cheio de espécies, cheio de vida! )
A DIVIDA ETERNA... ( Tão eterna que nada apagará tanta saudade, tanta destruição, tantos resquícios de lembrança . . . )
QUANTAS LÁGRIMAS DISFARÇAMOS SEM BERRO ! ( Quantas e quantas vezes, queremos gritar ao mundo que algo está errado.... queremos berrar para que se faça ouvir nossos clamores diante das coisas erradas ... entretanto, muitas vezes, o silêncio é a melhor arma..... )
“Lira Itabirana”,
Carlos Drummond de Andrade, 1984

Nenhum comentário:

Postar um comentário