quarta-feira, 2 de março de 2016

PONTUAÇÂO 04 Pontuar? Depende do gênero, do leitor...

TESTE
Que pontuação usar? Para provar que existem diversas possibilidades, preparamos um teste. Quantas formas você encontra para pontuar a frase abaixo?

Meu relógio sumiu não está na gaveta Você pode considerá-la como um diálogo ou a reflexão de uma só pessoa. Só não pode mudar a ordem das palavras. Veja na página seguinte algumas das respostas possíveis, com a interpretação de cada uma.

Aqui, algumas respostas para o teste anterior 
— Meu relógio sumiu. Não está na gaveta!
Afirmação e constatação indignada de quem fala

— Meu relógio sumiu?
— Não está na gaveta?
Diálogo com questão em dúvida e resposta em réplica

— Meu relógio sumiu não, está na gaveta.
Negação do sumiço do objeto e afirmação do local onde o objeto se encontra

— Meu relógio sumiu?
Não está na gaveta?
Dúvida do narrador e um princípio de desespero pela situação

— Meu relógio sumiu?
— Não, está na gaveta!
Dúvida na questão e certeza na resposta

Meu relógio sumiu...
Não está na gaveta...
Reflexão do personagem, pode ser que ele esteja pensando em outra possibilidade...

— Meu relógio sumiu, não?
— Está na gaveta!
Dúvida na pergunta e certa rispidez na resposta
Esqueça as pausas
Guiar o aluno na construção das habilidades de pontuar e de interpretar textos diferentes não é simples. Alguns colegas, porém, encontraram um caminho de sucesso: trabalhar a análise de gêneros. Comparando contos policiais com reportagens, romances com ficção científica e biografias, é possível ensinar as diversas possibilidades do uso desses sinais.

Antes de adotar tal metodologia é preciso derrubar algumas barreiras. A primeira: a ligação que alguns estudiosos fazem entre pontuação e pausa. "Escrita e fala são regidas por sistemas completamente diferentes", alerta Veronique Dahlet, professora do Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo.

Esse equívoco tem origem histórica. No tempo em que se escrevia sem espaço entre as palavras, era preciso ler em voz alta para dar sentido ao que estava no papel. As primeiras marcações apareceram para determinar pausas de respiração, mas já tinham a preocupação de evitar a perda do sentido (veja o quadro abaixo).
http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-pedagogica/pontuar-genero-leitor-423523.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário